jump to navigation

Produção do Prêmio Vôo Livre 2008 outubro 19, 2008

Posted by OhEremita in Software Livre.
trackback

O “Prêmio Vôo Livre” é oferecido pelo grupo “BrOffice.org – Projeto Brasil”, a todos aqueles que se empenham, para que o BrOffice seja cada vez maior, mais utilizado, mais forte.
O “Troféu Vôo Livre” é parte deste prêmio e na posição de escultor destas peças, muitas vezes sou indagado sobre o processo de produção. A idéia do “Software Livre” simplesmente me encanta, tanto que sou um escultor, participando de um grupo destinado a desenvolvimento de tecnologia. Bem no meu íntimo, acalento um sonho, de que um dia tudo o que produz a humanidade, não seja embasado em segredos mirabolantes, e que todos os processos de produção sejam do conhecimento de todos, assim: me sinto no sagrado dever, de mostrar como são feitos os troféus, deste nosso prêmio.

O inicio

No ano de 2006, após ver uma de minhas esculturas, o Claudio Ferreira Filho, presidente do BrOffice.org, teve a idéia de criarmos o “Premio Vôo Livre” composto entre outras coisas, de uma escultura, para premiarmos aqueles que tanto se empenhavam em nos ajudar. Sua primeira edição, foi ainda no ano de 2006.

Troféus do Prêmio Vôo Livre 2006

Não foi possível produzi-lo em 2007, mas retornamos em 2008.

Troféus do Prêmio Vôo Livre 2008

Agradecimentos importantes

Sr, Delfino dos Santos Ribeiro Silva

Assim como da primeira vez, o Sr. Delfino dos Santos Ribeiro Silva, disponibilizou o que se fizesse necessário, em sua fábrica,  para a confecção das peças, desde materiais, até equipamentos, isso deu agilidade ao processo de produção.
Esta empresa é a “Mobi Industrial Ltda”, que fabrica móveis de alto Luxo, para diversos mercados.

Sr. Marcelo Alves Magalhães

O Sr. Marcelo Alves Magalhães, cedeu varias horas de seu descanço, para execução do envernizamento das peças.

O processo de produção

Miniaturas dos troféus, na fase de estudos

Planificação dos troféus em estudo

Troféu em forma de livro, descartado por diversas razões

Inicialmente é feito um estudo, produzindo várias miniaturas, e algumas peças em tamanho natural, para obter um modelo, condizente com o objetivo.
O material: MDF, sigla da língua inglesa, – Medium Density Fiberboard, que em português é “Fibropainel de Media densidade”, este material está disponível no mercado, em placas de diversos tamanhos, usualmente 2440×1850 milímetros e com diversas espessuras, sendo que as mais usadas estão na faixa, que vai de 3 a 30 milímetros. Neste caso a opção por placas de 3mm, que coladas umas sobre as outras, em número de cinco, formando um painel mais espesso, produz-se um efeito visual de listras, bastante interessante.

Planificação das partes do troféu, sobre a placa de MDF

O primeiro passo: Planificação das partes do troféu, sobre a placa de MDF, para o dimensionamento do corte.

Corte da chapa de MDF, em tiras estreitas

Segundo passo: Corte da chapa de MDF, em tiras estreitas, na medida necessária para confecção das partes do troféu, o nome da máquina utilizada para esta operação é “Esquadrejadeira”, que tem a função de cortar as várias peças com o mesmo tamanho e com relativa precisão.

Vista da prensa com as peças, durante a aplicação de cola

Peças sendo colocadas dentro da prensa

Prensa, durante a prensagem das peças

Terceiro passo: Colagem das tiras, umas sobre as outras, formando uma placa mais espessa, neste ponto vem aquela pergunta: “Por que não utilizar uma placa que já seja da espessura desejada?”, simplesmente pelo efeito de camadas, que conseguimos produzir, colando uma placa sobre a outra, inclusive se adiciona um corante à cola, para destacar ainda mais as tais camadas. O nome da máquina utilizada nesta operação é “Prensa Hidráulica”.

Traçagem, desenho das peças sobre as placas

Quarto passo: Traçagem (desenho das peças sobre as placas), delineando as partes a serem cortadas, para formação das figuras, (gaivotas inseridas no mapa do Brasil). Aqui se usa simples equipamentos de desenho.

Vista das peças, durante o recorte das figuras

Vista das peças, durante o recorte das figuras

Peças com as figuras recortadas, sobre a bancada de trabalho

Quinto passo: Recorte das figuras desenhadas na superfície das placas, basta recorta-las. O nome da máquina utilizada nesta operação é “Tupia”, existem tupias de diversos tamanhos para diferentes aplicações, neste caso (peças com detalhes pequenos), usamos uma “Tupia Manual”.

Peças sobre a esquadrejadeira, durante o corte das junções

Peças sobre a esquadrejadeira, durante o corte das junções, mais detalhes

Peças sobre a esquadrejadeira, durante o corte das junções, visão da lâmina de serra

Sexto passo: Corte das junções (pontos em que uma parte é colada a outra), é necessário um corte preciso, para que a colagem seja perfeita, mais uma vez nos utilizamos da “Esquadrejadeira”. Lembra que já a utilizamos, no inicio do processo?.

Conclusão

Fase inicial concluída, daqui em diante, apenas a colagem das partes formando os troféus, sem necessitar de nenhum equipamento especial.
Esculpir o corpo das gaivotas é também bastante instintivo e utiliza-se equipamentos comuns de marceneiro, finalmente, lixar e aplicar verniz.

Visão em detalhes, do troféu Vôo Livre 2008

Detalhe: foi utilizado um verniz com um mínimo de Brilho, para conservar o máximo possível, o aspecto natural do MDF, tendo o verniz, a única função de proteger contra envelhecimento, manchas, líquidos, coisas assim.
Como puderam notar, um processo simples, rápido e fácil.
Espero ter sido esclarecedor.

Anúncios

Comentários»

1. Juli - outubro 19, 2008

PARABÉNS Talentosa alma!
SUCESSO!
Belo trabalho.
Emocionou-me.
Bj poesia

2. Beth - outubro 19, 2008

Quando Deus nos deu talentos, não foi para
serem enterrados…
Obrigada por compartilhar conosco!

3. Gustavo Pacheco - outubro 19, 2008

Olá Sincero,

Parabéns. Fantástico trabalho.

Abraço,
Gustavo Pacheco.

4. Marcus - outubro 20, 2008

Simples? Cara essa obra de arte é reconhecida por todos pela sua dedicação de forma especial e pela criatividade. Só o Sincero para fazer isso. Você Oheremita foi um divisor de águas no projeto BrOffice.org. A comunidade só tem a te agradecer. E mando os nossos agradecimentos ao senhor Delfino e ao Marcelo que foram tão importantes neste processo.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: